Caminhos do Aprender
Facebook
Caminhos Do Aprender - Espaço Multidisciplinar na Doctoralia

Cadastre-se

Anterior
Próximo
Parceiros

TDAH

TDA/H  É um transtorno de caráter neurobiológico e de possíveis causas genéticas, também conhecido como DDA, /Distúrbio do Déficiti de Atenção. 
Os traços mais característicos são: desatenção, inquietude e impulsividade, que afetam a criança tanto na área comportamental quanto na área cognitiva. 
A criança não consegue se concentrar em um só estímulo, tem dificuldades em esperar, fala sem pensar e fala ao mesmo tempo que outras pessoas. Sua atividade motora é traduzida em hiperatividade, apresentando debilidade motora e falhas na psicomotricidade, seu estilo cognitivo é desorganizado, aspectos esses que dificultam seu aprendizado escolar. 

Causas

Estudos científicos mostram que portadores de TDAH têm alterações na região frontal do cérebro e as suas conexões com as demais regiões. A região órbito – frontal é uma das mais desenvolvidas no ser humano em comparação com outras espécies animais, e é responsável pela inibição do comportamento ( isto é, controlar ou inibir comportamentos inadequados), pela capacidade de prestar atenção, memória, autocontrole, organização e planejamento.
O que se revela alterado nesta região cerebral é o funcionamento de um sistema de substâncias neuroquímicas chamadas neurotransmissores (principalmente dopamina e noradrenalina), que passam informação entre as células nervosas (neurônios).

Sintomas

Existem três categorias diferentes de sintomas: desatenção, hiperatividade e impulsividade.

Os sintomas de desatenção são observados quando:

* Dificuldade de prestar atenção a detalhes e tendência a errar por desleixo na escola ou em outras atividades, produzindo trabalhos que geralmente são desorganizados ou desleixados.
* Distrair-se facilmente com estímulos irrelevantes e interrompe suas tarefas com freqüência para prestar atenção a coisas ou eventos sem importância, que são geralmente ignorados pelos outros.
* Passa freqüentemente de uma atividade para outra, sem ter terminado a primeira.

Os sintomas da Hiperatividade podem se tornar aparentes em crianças ainda na fase pré-escolar e quase sempre se manifestam antes da idade de 7 anos. Os sintomas incluem:
* inquietação, ou agitação ao permanecer sentado;
* levantar-se com freqüência e andar ou correr pelos cantos;
* dificuldade de agir serenamente ou participar de atividades de lazer mais tranqüilas;
* está sempre em movimento;
* fala excessivamente e com freqüência.

Os sintomas da Impulsividade compreendem:
* impaciência;
* dificuldade para dar respostas longas;
* dispara respostas impensadas antes que a pergunta seja finalizada;
* dificuldades para aguardar sua vez ;
* interrompe ou se intromete frequentemente em assuntos alheios, a ponto de causarem problemas em ambientes sociais e profissionais ;
* inicia conversas em horas impróprias;

A impulsividade pode acarretar acidentes ou agressões físicas. As crianças com TDAH podem também se envolver em atividades potencialmente perigosas, sem medir suas conseqüências.



Muitos desses sintomas ocorrem, de tempos em tempos, em jovens normais. No entanto, no casos de crianças ou adolescentes com TDAH eles ocorrem com bastante freqüência – em casa e na escola ou quando vão visitar os amigos. Eles também interferem no cotidiano da criança e em suas atividades diárias.
 

Tratamento do TDAH

O tratamento vai depender de um diagnóstico preciso da criança. Deve-se levar em conta todos os problemas específicos e os recursos que podem contribuir para sua melhora. O TDAH deverá ser tratado por uma equipe multidisciplinar, onde não podem faltar um neuropediatra, um neuropsicólogo e um psicólogo cognitivo-comportamental, e em casos que apresentar dificuldades relacionadas à aprendizagem, um psicopedagogo.
( Edilene Dal’Olio - Especializada em Psicopedagogia Clínica/ Karla Andrade – Neuropsicóloga e Psicóloga – CRP 06/84612 ).

Referências:
Muszkat, M. Neuropsicologia do Desenvolvimento – Conceitos e Abordagens: Memnon, 2005;
Seabra, Alessandra Gotuzo – Teoria e Pesquisa em Avaliação Neuropsicológica; 2ª edição. São Paulo: Memnon,2009;
Gómez, Ana Maria salgado – Dificuldades de Aprendizagem – Detecção e Estratégias de ajuda; Grupo Cultural.
Internet
www.tdah.org.br
www.cognitivocomportamental.com

O TDAH é diagnosticado após as crianças apresentarem, de forma consistente, seis ou mais dos sintomas de desatenção e/ou da hiperatividade/impulsividade, em pelo menos dois ambientes, como em casa e na escola, pelo período mínimo de 6 meses.

O questionário abaixo é denominado SNAP-IV e foi construído a partir dos sintomas do Manual de Diagnóstico e Estatística - IV Edição (DSM-IV) da Associação Americana de Psiquiátrica. Você também pode imprimir e levar para o professor preencher na escola. Esta é a tradução validada pelo GEDA – Grupo de Estudos do Déficit de Atenção da UFRJ e pelo Serviço de Psiquiatria da Infância e Adolescência da UFRGS.
 

IMPORTANTE: Lembre-se que o diagnóstico definitivo só pode ser fornecido por um profissional.


Para cada item, escolha a coluna que melhor descreve o(a) aluno(a) (MARQUE UM X):

* Nem um pouco
* So um pouco
* Bastante
* Demais

1. Não consegue prestar muita atenção a detalhes ou comete erros por descuido nos trabalhos da escola ou tarefas. 
2. Tem dificuldade de manter a atenção em tarefas ou atividades de lazer 
3. Parece não estar ouvindo quando se fala diretamente com ele 
4. Não segue instruções até o fim e não termina deveres de escola, tarefas ou obrigações. 
5. Tem dificuldade para organizar tarefas e atividades 
6. Evita, não gosta ou se envolve contra a vontade em tarefas que exigem esforço mental prolongado. 
7. Perde coisas necessárias para atividades (p. ex: brinquedos, deveres da escola, lápis ou livros). 
8. Distrai-se com estímulos externos 
9. É esquecido em atividades do dia-a-dia 
10. Mexe com as mãos ou os pés ou se remexe na cadeira 
11. Sai do lugar na sala de aula ou em outras situações em que se espera que fique sentado 
12. Corre de um lado para outro ou sobe demais nas coisas em situações em que isto é inapropriado 
13. Tem dificuldade em brincar ou envolver-se em atividades de lazer de forma calma 
14. Não pára ou freqüentemente está a “mil por hora”. 
15. Fala em excesso. 
16. Responde as perguntas de forma precipitada antes delas terem sido terminadas 
17. Tem dificuldade de esperar sua vez 
18. Interrompe os outros ou se intromete (p.ex. mete-se nas conversas / jogos). 


Como avaliar:

1) se existem pelo menos 6 itens marcados como “BASTANTE” ou “DEMAIS” de 1 a 9 = existem mais sintomas de desatenção que o esperado numa criança ou adolescente.

2) se existem pelo menos 6 itens marcados como “BASTANTE” ou “DEMAIS” de 10 a 18 = existem mais sintomas de hiperatividade e impulsividade que o esperado numa criança ou adolescente.

O questionário SNAP-IV é útil para avaliar apenas o primeiro dos critérios (critério A) para se fazer o diagnóstico. Existem outros critérios que também são necessários. 

IMPORTANTE: Não se pode fazer o diagnóstico de TDAH apenas com o critério A! Veja abaixo os demais critérios.

CRITÉRIO A: Sintomas (vistos acima)

CRITÉRIO B: Alguns desses sintomas devem estar presentes antes dos 7 anos de idade.

CRITÉRIO C: Existem problemas causados pelos sintomas acima em pelo menos 2 contextos diferentes (por ex., na escola, no trabalho, na vida social e em casa).

CRITÉRIO D: Há problemas evidentes na vida escolar, social ou familiar por conta dos sintomas.

CRITÉRIO E: Se existe um outro problema (tal como depressão, deficiência mental, psicose, etc.), os sintomas não podem ser atribuídos exclusivamente a ele


Referências:

Gómez, Ana Maria Salgado;Terán, Nora Espinosa - Dificuldades de Aprendizagem - Manual de Orientação para Pais e Professores, Grupo Cultural.
www.tdah.org.br



 

.